quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Batalha

Luta , que eu te espero,
esperança, que eu te torço,
brigo , luto ,no maior alvoroço,
lanço cordas sobre seu pescoço,
para evitar o maior estorvo,
e ainda sim procurar livrar
o primeiro filho do teu povo,
e enfeitá-lo com belos adornos,
donde não podeis ir,
na terra em que não podeis entrar,
chorará adianta a mágoa infinita,
pois a sua hora sofrida ,já não me é mais tão querida,
no final , cairá...gemida..em alguma memória escondida.

8 comentários:

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
LAURA disse...

adorei o poema fio!

Lurdes disse...

ai q liiiiiiiiiiiiiiiindu!

LAURA disse...

Tesão!!!! ui ui ui ....
seu poema me fez ficar emocionada!! ç.ç

LAURA disse...

Fantástico rapaz , vc tem talento mesmo hein! qual o seu e-mail?

Hybrid_HEaVEn disse...

Cool man...just relax now...

LAURA disse...

Mando maneiriiiiiiiiiiiiiissimo mano! uhu!

Anônimo disse...

LIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIINDO POEMA!!